Negligência: dívidas de duas décadas com a Fazenda Nacional somam mais de dois milhões de Reais

Publicado em: 3 de novembro de 2018

A gestão 2016-2018 assumiu a Associação de Cabos e Soldados com uma dívida com a Fazenda Nacional que atualmente está na casa de R$ 2, 3 milhões. A negligência de pagamentos de impostos durante 20 anos trouxe transtornos quando a atual diretoria, como por exemplo, quando os associados aderiram aos panos de saúde e odontológico não puderam ter o valor das mensalidades descontados nos contracheques porque a ACS não tinha a certidão negativa com a Fazenda Nacional.

“Todas as dívidas ativas poderiam ser executadas e a Associação poderia perder todo o seu patrimônio como o prédio administrativo, a sede recreativa, entre outros para liquidar a dívida. Sem uma negociação do Refis,  a ACS não teria como fazer convênios para seus associados”, explica o contador da entidade Orlando Pazolini.

Para solucionar o problema com a Fazenda Nacional, a Associação de Cabos e Soldados aderiu ao Programa de Parcelamento Incentivado de Débitos Fiscais, o Refis.

“Mesmo com o valor que ultrapassa dois milhões de reais, a Associação de Cabos e Soldados conseguiu isenção e anistia de algumas multas o que beneficiou a entidade”, diz Pazolini.

No final do primeiro ano de gestão a entidade, através da tesouraria utilizou o fundo de reserva que conseguiu fazer enxugando gastos da entidade para o pagamento do valor de entrada da negociação do Refis.

“Nos organizamos e a partir da recomposição do caixa em 2016 foi possível dar a entrada do pagamento do Refis em 2017. Regularizamos as dívidas com o Fisco estadual e todos os meses pagamos uma parcela desta conta que não foi feita por nós, mas que herdamos e passará para a próxima administração. A omissão e a negligência destes pagamentos nos renderam muito trabalho e dor de cabeça na nossa gestão”, afirma  o presidente, Sargento Renato Martins Conceição.

Para cada dívida ativa foi firmado um contrato de parcelamento. A lei que instituiu o Refis /2017 veda a realização de um novo programa de parcelamento de débitos estaduais pelos próximos cinco anos após sua criação.

Associe-se à ACSPMBMES, clique aqui!

Produção: Mary Dias  (assessoriadeimprensa@acspmbmes.com.br) .